Mouraria

Um bairro popular, mouro na sua origem, o mais multicultural de Lisboa e hoje um ds que atrai mais jovens atraídos por uma reabilitação urbana sem precedentes e um apoio aos projetos comunitários, artísticos e à implementação de ideias e projetos.

Sempre foi visto como um misto de nacionalidades e culturas sendo a maioria da população estrangeira é do Bangladesh, e a maioria restante composta de imigrantes chineses, indianos, paquistaneses e moçambicanos, junto a cerca de 50 outras nacionalidades. É assim, naturalmente, um mercado de lojas de produtos alimentares orientais, onde até os grandes chefes se vêm abastecer. Reflexo desta mistura é a renovada praça do Martim Moniz onde nasce o Mercado de Fusão, oferecendo gastronomia e eventos.

É também um bairro tipicamente lisboeta, conhecido como o berço do Fado, morada original da primeira grande fadista vivia no século XIX, a mítica Severa que se apaixonou por um conde e levou a música do povo aos salões aristocratas. A Casa da Severa foi remodelada, oferece fado e convívio cultural de qualidade, sendo hoje o espelho da renovação do bairro que procura nas origens a força da sua renovação aliada ao empreendedorismo jovem, cultural e comunitário que revitaliza a zona. Outros grandes nomes ligados ao Fado viveram no bairro, como Mariza, que cresceu nestas ruas antes de chegar aos grandes palcos do mundo.

Há cerca de dois anos iniciou-se um movimento de recuperação e requalificação da zona. Hoje a Mouraria vê recuperadas as principais ruas, as praças com agendas culturais ativas e é um dos bairros lisboetas que está na moda a nível de cultura e de habitação.

Central e bem servido de transportes sendo o terminal do elétrico 28, está próximo dos bairros modernos Chiado e Baixa e faz a ligação aos bairros históricos Castelo e Alfama.