Baixa

A Baixa é o centro de comércio e lojas lisboeta. A mais recente reabilitação da Ribeira das Naus, frente à Praça do Comércio, atrai hoje em dia à Baixa toda uma nova vida e vivência da cidade que não passa só pelas lojas, vai desde o jogging, junto com várias atividades de beira rio, ao convívio familiar, puro lazer nos relvados, ao prazer de um pôr-do-sol no mítico Cais das Colunas.

A Baixa de Lisboa foi completamente reconstruída no século XVIII, depois da destruição causada pelo terramoto de 1755, o pior terramoto registado na Europa, mas que levou ao primeiro planeamento urbano neoclássico e à primeira construção antisísmica em grande escala no mundo. No século XX, muitos dos seus edifícios foram ocupados por bancos e escritórios, empurrando residentes para as Avenidas Novas, e eventualmente deixando vários prédios ao abandono. No entanto, o bairro ainda possui um ambiente muito próprio, composto por lojas antigas, fachadas com detalhes Art Nouveau, cauteleiros a oferecerem a sorte grande, a comunidade africana à conversa no Rossio, skaters à volta da Praça da Figueira, floristas, artistas de rua, engraxadores de sapatos e vistas para o Tejo. Muitas das ruas são pedonais, e ligam um conjunto de praças monumentais, do Rossio com os seus cafés à Praça do Comércio com o seu arco triunfal, à elegante Praça do Munícipio.

Atualmente existem vários projetos ambiciosos para a maior reabilitação da zona desde a reconstrução pombalina do século XVIII, na esperança de vir a ser um dia reconhecida como Património Mundial. É bem servida de vários transportes, como autocarros diversos, metro e barco para atravessar o rio Tejo para várias cidades da margem sul.

Anúncios