Avenidas Novas

Aqui são vários os centros comerciais e edifícios de escritórios e é por isso considerada por muitos o centro de negócios da cidade. Dispõe assim de bons acessos e transportes balançando o movimento comercial e empresarial do dia-a-dia com cafés e esplanadas e o foco cultural da Fundação Calouste Gulbenkian, suas exposições, concertos e magnífico jardim.

“Avenidas Novas” foi a designação utilizada para o desenvolvimento urbano que fez avançar a cidade de Lisboa para norte, nos finais do século XIX e primeira metade do século XX. Surgem novos bairros com moradias unifamiliares e imóveis de rendimento, ocupados por uma classe média, média-alta e alta em expansão. Os novos bairros, de ruas largas, logradouros ajardinados e homogéneos no desenho das fachadas, foram, numa fase inicial, erguidos ao gosto de uma arquitetura eclética e vagamente Arte Nova, lado a lado com resistentes palacetes.