Open House traz novidades a Lisboa

No rescaldo do sucesso da segunda edição do Open House Porto, a organização considerou que é tempo para avançar todas as novidades da edição de Lisboa. A quinta edição do Open House Lisboa junta a Trienal de Arquitectura de Lisboa e a EGEAC e volta a abrir as portas da capital portuguesa em dois dias inesquecíveis de visitas gratuitas.

Nos dias 2 e 3 de Julho, o evento que celebra o melhor da arquitectura da cidade convida a descobrir o novo roteiro que conta com 73 espaços, sendo a maioria uma estreia absoluta. Do mesmo fazem parte planos urbanos, museus, escolas, teatros, palácios, casas privadas e ateliers, obras de diferentes escalas assinadas tanto por autores consagrados, como por emergentes.

Dos diversos pontos elevados que oferecem uma visão panorâmica sobre cidade – a partir de sete terraços seleccionados – aos edifícios que simbolizam as principais entradas em Lisboa – como o Farol do Bugio, o aeroporto Humberto Delgado ou o Arco da Rua Augusta – poder-se-ão percorrer vários séculos da história da capital.

Seguindo o compromisso de ter um leque cada vez maior de especialistas envolvidos, são cerca de oitenta os profissionais que irão proporcionar uma leitura mais aprofundada sobre cada espaço. As visitas comentadas aos Olivais Sul contam com nomes incontornáveis como Bartolomeu Costa Cabral, Nuno Portas e Raúl Hestnes Ferreira e a visita à Torre de Controlo Marítimo com Gonçalo Byrne.

No sentido de tornar a experiência Open House o mais fluída possível, as visitas são por ordem de chegada, sendo que apenas sete dos locais confirmados necessitam de marcação prévia. Para chegar a mais pessoas, a mudança de estação permite ainda horários de visita mais alargados.

Para ajudar os mais indecisos a escolher por entre mil e uma possibilidades, existem quatro roteiros temáticos construídos de acordo com quatro lógicas: Lisboa à Vista, Cidade Reabilitada, Formação e Criação ou Descobrir os Bastidores.Mas as novidades não ficam por aí.

Em 2016, o Open House Lisboa conta com a participação de cinco agentes culturais da cidade – o  Gerador, Escópio, EliseuBike&Co, Urban Sketchers e Arquiteturas Film Festival – protagonistas do Programa Plus, o mesmo que irá proporcionar percursos, passeios de bicicleta, workshops, performances ou um ciclo de cinema.

A pensar nos mais novos, inaugura-se o programa Open House Júnior com diferentes actividades lúdico-pedagógicas que colocam o público infantil na pele de arquitecto, apelando à curiosidade sobre a arquitectura que os rodeia.

Em colaboração com a Stress.fm, serão disponibilizados podcasts que irão desvendar um pouco mais sobre alguns espaços do roteiro de 2016.

O Open House Lisboa reforça a sua missão de serviço público e compromisso que a Trienal assume na aproximação dos cidadãos à disciplina. A sua realização deve-se à disponibilidade de 240 voluntários e dos proprietários e arquitectos que, a título pro-bono, fazem deste evento a grande celebração gratuita da arquitectura em Portugal.

Foto: Teatro Thalia – Pedro Sadio

Fonte: Magazine Imobiliário

Anúncios