Portugal no Topo da escolha dos norte-americanos para investir

‘A vida em Portugal é Primeiro Mundo’, é assim que o site norte-americano Live and Invest Overseas, avalia o nosso país para quem pretende investir e viver no exterior.

Num artigo publicado este mês, o site revela que com a saída dos ingleses da União Europeia, o mercado no Algarve poderá ser ocupado pelos norte-americanos. Até ao momento a América Central e o Caribe são regiões de primeira escolha na procura de lugares ensolarados, simpáticos, acolhedores e acessíveis para reinventar suas vidas na reforma e, cada vez mais, até mesmo anos ou décadas antes dessa fase.

“Portugal (o que chamamos na edição deste Índice Overseas como refúgio de aposentadoria de topo do mundo no ano) oferece muito mais do que você recebe na América Central. Ele tem as praias, a costa, a luz do sol, um grande tempo, uma comunidade de expatriados … e até tem os mesmos custos baixos.

Na verdade, o custo de vida em Portugal agora pode ser muito mais baixo do que o custo de vida em muitos destinos da América Central e do Caribe. A diferença entre a vida em Portugal e vida na América Central ou do Caribe: A vida em Portugal é Primeiro Mundo. As infra-estruturas, as comodidades, a cultura, os serviços e os padrões de serviço … todos eles são de Primeiro Mundo”, lê-se no artigo de Kathleen Peddicord.

Mais, a jornalista adianta mesmo que Portugal é a estrela desconhecida da Europa. “No primeiro trimestre deste ano, mais de 20% de todas as compras de propriedade no país foram feitas por investidores estrangeiros”, esclarece.

A jornalista escreve inclusive da sua experiência em Portugal e de outros compatriotas que já investiram no Algarve e que estão a pensar expandir-se para Lisboa. E salienta que a experiência tem sido muito positiva. O apartamento que o casal Lief e Jackson comprou em Lagos, tem sido quase totalmente ocupado desde que compraram e já têm reservas de 90% de ocupação até Setembro.

A jornalista salienta ainda que já pesquisou o mercado e verificou que se pode alcançar “um retorno de 4% a 5% líquidos por ano no arrendamento de um imóvel por apenas seis meses por ano … o que significa que poderia viver nele a outra metade do ano. Ou arrendar em tempo integral para um retorno anual de 8% líquidos”.

“Portugal é o pacote completo … um ao vivo e investir no destino”, conclui.

Fonte: Diário Imobiliário

Anúncios