Arrendar casas para turistas é o negócio do momento

São perto de 25 mil casas que neste momento estão arrendadas para o turismo, o valor mais alto de sempre, segundo o Turismo de Portugal. A descoberta do nosso país pelos estrangeiros, sobretudo a cidade de Lisboa levou a este crescimento na exploração turística das casas portuguesas. Um negócio que cresceu depois da aprovação da lei em 2014 para o Alojamento Local.

O sucesso desta medida e a adesão em força ao alojamento local levou o Turismo de Portugal e o Ministério da Economia a decidirem melhorar a lei que regulamenta o arrendamento de casas a turistas. Este tema é um dos desafios colocados no âmbito da nova estratégia para o Turismo até 2027, cuja discussão pública arrancou na última terça-feira e que irá decorrer até Outubro.

A auscultação pública será realizada através do recurso a plataformas online, a reuniões e entrevistas, a focus group e a laboratórios estratégicos de turismo (LET) – debates púbicos que vão decorrer em várias regiões do país.

Segundo adiantou o jornal Público, a intenção é obter opiniões e contributos de empresas, instituições e cidadãos sobre o sector em Portugal e desenhar um plano para tornar o país “mais competitivo” face à concorrência, segundo Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal.

Relativamente ao alojamento local, a intenção é assegurar a sua plena integração “no contexto ‘do bairro’ e da autenticidade dos destinos, potenciando o seu contributo para a regeneração urbana e vitalização dos centros históricos”, refere o documento apresentado nesta terça-feira. A estratégia é “trazer as pessoas que estão fora da legalidade, para dentro”, continua. Em causa estão alterações à actual lei relacionadas com a “monitorização e sã convivência entre os vários tipos de oferta turística”, indica o Turismo de Portugal.

Fonte :Diario Imobiliario

Anúncios