Programa “Casa Eficiente” vai reabilitar casas particulares

Para obras em casas de particulares, destinadas à habitação própria, será criado um programa financiado com verbas do plano Junker. A medida surge no âmbito do Plano nacional de Reformas.

Não são apenas os imóveis devolutos ou degradados que precisam de obras de reabilitação. Há muitas casas, habitadas por famílias e a precisar urgentemente de obras, mas para as quais os proprietários pura e simplesmente não têm liquidez que lhes permita avançar. E é para esses e não já a pensar no mercado do arrendamento, que surge a iniciativa “Casa Eficiente”, anunciada recentemente pelo Executivo no âmbito do  Plano Nacional de Reformas, cujas linhas gerais foram conhecidas na semana passada.

Segundo Reis Campos, presidente da Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário (CPCI), a “Casa Eficiente” prevê a adjudicação de uma verba proveniente do Plano Junker e que facilitará a realização de obras em casas particulares destinadas à habitação própria.  Recorrendo aos fundos que serão disponibilizados, os proprietários poderão beneficiar de financiamento por via de empréstimos a taxas reduzidas.

A “Casa Eficiente” insere-se no objectivo de valorização do território – cidades sustentáveis e inteligentes, o mesmo onde aparece igualmente o novo Fundo Nacional para a Reabilitação do  Edificado (destinado ao património público e privado degradado) e medidas como a aposta na reabilitação de espaços e edifícios públicos.

Para o sector da construção, nestes vários programas está a luz ao fundo do túnel, depois de um período em que a actividade tem registado quebras acentuadas e muitas empresas se viram obrigadas a fechar portas, recorda Reis Campos.

No Plano Nacional de Reformas, com as metas para a actual legislatura, o Executivo inscreveu com objectivo a reabilitação urbana de 4.000 edifícios públicos e privados apoiados e de 3.000 m2 de espaços públicos.

Fonte: Jornal de Negocios
Anúncios