Sete restaurantes portugueses na lista dos melhores do mundo

A mais recente lista dos melhores restaurantes do mundo dá pelo nome de La Liste e — novidade — não foi desenvolvida nem por uma revista da especialidade nem por uma marca de pneumáticos ou combustíveis. É uma iniciativa do Ministério dos Negócios Estrangeiros de França para combater a “The World’s 50 Best Restaurants”, produzida pela revista britânica Restaurant.

Os responsáveis afirmam, no respetivo site, que a intenção é que a La Liste esteja para os restaurantes como o ATP está para o ténis, o ranking de Xangai para as melhores universidades ou o Rotten Tomatoes para o cinema. Ou seja, cita o Observador, a ideia é “compilar todas as avaliações existentes em guias e comentários online de forma a chegar a uma lista de 1000 restaurantes excecionais em todo o mundo”.

Para tal, foi desenvolvido um algoritmo — a que deram o nome de Ciacco, a mais gulosa das personagens de A Divina Comédia, de Dante —que respeitou critérios definidos por um comité de especialistas como Jean-Robert Pitte, um geógrafo e historiador francês especializado em gastronomia ou o jornalista alemão da área Jörg Zipprick. O método foi o seguinte:

  • Primeiro, foram listadas, padronizadas e compiladas todas as pontuações atribuídas a milhares de restaurantes em todo o mundo por quase 200 guias e sites de avaliação, onde foram também incluídas pontuações relativas às listas de vinho, serviço e decoração.
  • Depois, um painel de cerca de 150 mil donos de restaurantes avaliou a fiabilidade dos diferentes guias.
  • O resultado dessa avaliação determinou o peso de cada guia na pontuação final.
  • Os comentários de utilizadores também foram incluídos, valendo 25% dessa mesma pontuação.

Entre as fontes utilizadas para chegar à pontuação final contam-se os Guias Michelin, Repsol, Foursquare, TripAdvisor, OpenTable, Gault & Millau ou Zagat, só para dar alguns exemplos. A primeira edição do ranking foi divulgada no passado dia 17 de dezembro, em Paris, e contempla restaurantes de 48 países diferentes, incluindo Portugal. O Restaurant de l’Hotel de Ville, em Crissier, na Suiça, é o primeiro da tabela.

Top 10

  1. Restaurant de l’Hôtel de Ville – Crissier (82.349)
  2. Per Se – Nova Iorque (82.302)
  3. KyoAji – Tóquio (82.000)
  4. Guy Savoy – Paris (81.439)
  5. Schauenstein – Fürstenau (81.366)
  6. ElCeller de Can Roca – Girona (81.169)
  7. Kyubey – Tóquio (79.883)
  8. MaisonTroisgros – Roanne (79.807)
  9. AubergeduVieuxPuits – Fontjoncouse (79.800)
  10. Joël Robuchon – Yebisu Garden Place (79.771)

 

Os melhores portugueses

  • O Ocean, com o chef Hans Neuner aos comandos é o restaurante português mais bem classificado, em 76.º lugar;

 

  • José Avillez com David Jesus, a dupla que garante o sucesso do lisboeta Belcanto, o segundo português mais bem cotado da lista, em 101.º lugar;
  • O algarvio Vila Joya, restaurante do pequeno boutique hotel homónimo, conhecido pela cozinha criativa do chef Dieter Koschina, ficou no lugar n.º 142;
  • Liderado desde agosto último por Miguel Rocha Vieira, o Fortaleza do Guincho também foi incluído nesta lista. Surge em 184.º lugar;
  • O único restaurante das ilhas com estrela Michelin, o madeirense Il Gallo d’Oro juntou-lhe agora esta distinção. Está na posição 265;
  • É fácil perceber o porquê do nome Arcadas. O restaurante da Quinta das Lágrimas, em Coimbra, (que, em tempos, teve uma estrela Michelin) surge a abrir a segunda metade da lista, em 504.º;
  • O Henrique Leis fica em Almancil e tem o nome do chef brasileiro (de escola francesa) que toma conta da cozinha. É o último restaurante português da lista, na posição 506.

 

Fonte: Port.com

Anúncios