O grande festival da Arquitectura está de volta a Lisboa

A cidade de Lisboa vai voltar a abrir as suas portas à Arquitectura nos dias 10 e 11 de Outubro para receber a 4ª edição do Open House e com um roteiro renovado.  O Open House Lisboa é organizado pela Trienal de Arquitectura de Lisboa em parceria estratégica com a EGEAC. Conta ainda com a Fundação Serra Henriques como parceiro institucional e com o patrocínio da Jofebar e Roca.

Este ano, o roteiro propõe um novo olhar sobre Lisboa através da escolha de pontos elevados que permitem a observação da sua malha urbana, de percursos em bairros estratégicos e visitas que desvendam as particularidades de edifícios de referência. Estarão disponíveis três tipos de visitas: visitas livres, visitas acompanhadas por voluntários e visitas comentadas pelos próprios autores do projecto ou outros especialistas. Esta 4a edição irá envolver um maior número de profissionais para uma maior aproximação dos autores ao visitante contextualizando opções de projecto, explicando inspirações e desvendando processos de criação.

A grande maioria das visitas é sem marcação, sendo apenas necessário consultar os horários no site www.openhouselisboa.com que estará disponível a partir de 25 de Setembro.

Alguns locais já confirmados:

Aqueduto das Águas Livres, Arq. António Canevari, Eng. Manuel da Maia, Eng. Custódio Vieira,Arq. Carlos Mardel | Arq. Miguel Angelo Blasco, Arq. Reinaldo Manuel dos Santos, Eng. Honorato José Correia de Macedo e Sá, 1731 – 1799Atelier Pedro Pacheco, Arq. Pedro Pacheco, 2012-14

Atelier Pedro Pacheco, Arq. Pedro Pacheco, 2012-14

Atelier-Museu Júlio Pomar, Arq. -Museu Júlio Pomarq. Ped

Biblioteca Nacional, Arq. Pardal Monteiro, 1969

Apartamento em Santa Catarina, Aspa (Arq. Rita Laginha, Rita Brito), 2012-15

Casa Príncipe Real, Arq. Rita , Camarim, 2013

Centro de Comando Operacional de Lisboa, Arq. Gonçalo Louro & Cláudia Santos, Arquitectos Lda, 2007

Central de Recolha de Resíduos Urbanos Compactos, Parque Expo, 1997

Convento Madre Deus – Museu do Azulejo, Arq. Andreia Galvão (2003); Pedro Carvalho e Diogo de Torralva (1551); Francisco Conceição Silva (1958); José Maria Nepumoceno (1871-1895); Liberato Teles (1895-1899); Sebastião Formosinho Sanchez (1983), 1509, 1550

Escola Secundária Braamcamp Freire, CVDB Arquitectos, 1986-2012

Escola Vergílio Ferreira, Atelier Central Arquitectos, 2009-2011

ETAR de Alcântara, Manuel Aires Mateus, Frederico Valsassina e Jossi
Nunes (Proap), 2007-11

Extensão do Oceanário de Lisboa, Arq. Pedro Campos Costa,

Fundação Calouste Gulbenkian, Arq. Alberto Pessoa, Pedro Cid e Ruy Athouguia / Sir Leslie Martins, 1969/1983Fundação Champalimaud, Charles Correa, 2010

Garage Films, Inês Lobo, 2005-2006

Museu da Eletricidade, Vários, 1909-1951

Observatório Astronómico de Lisboa, Arq. Jean Colson, 1861-67

Padrão dos Descobrimentos, Arq. Cottinelli Telmo e escultor Leopoldo de Almeida, 1940 e 1960

Palácio da Justiça de Lisboa, Manuel Caetano de Sousa, José da Costa e Silva, Francisco Xavier Fabri, 1970

Palácio de Santos / Embaixada de França, João Antunes e Carlos e Guilherme Rebelo de Andrade), Gonçalo Byrne, 1711/1937/1980-82

Palácio Nacional da Ajuda, Manuel Caetano de Sousa, José da Costa e Silva e Francisco Xavier Fabri, 1796-1833

Panoptico Hospital Miguel Bombarda, 1894

Ponte 25 Abril, Steinman, Boynton, Gronquist & Birdsall, 1962-66

Reabilitação na Baixa, Casca arquitectura e design, séc. XVIII/2015

Reabilitação Príncipe Real, Fala Atelier, 2014

Reservatório da Mãe de Água, Arq. Carlos Mardel | Arq. Reinaldo Manuel dos Santos | Arq. Honorato José Correia de Macedo e Sá, 1746 – 1834

Reservatório da Patriarcal, Eng.º Charles Mary, 1860-1864

Banco de Portugal, Antiga Igreja de São Julião, – Gonçalo Byrne e João Pedro Falcão de Campos, 1810/2012

Supremo Tribunal de Justiça, Arq. Eugénio dos Santos, Séc. XVIII

Teatro Thalia, Fortunato Lodi / Gonçalo Byrne Arquitectos e Barbas Lopes Arquitectos, 1842 / 2012

in Diário Imobiliário

Anúncios